Viver com Propósito

Se você não faz a diferença que diferença você faz?

Falando com as pessoas e pensando numa resposta pessoal para esse questionamento, percebi que precisava ouvir as diversas opiniões do senso comum e também pesquisar linhas de pensamento da filosofia, termos da psicologia e as inferências da espiritualidade. O resultado foi a clara percepção de que a busca por propósito e felicidade se misturam. O que só deixa ainda mais complexo o assunto.

O homem e a mulher pós-moderna vivem em meio ao risco da ilusão da imagem, numa proposta sedutora de um mundo virtual mágico onde tudo é perfeito. A mensagem é de “felicidade a qualquer custo” sendo mostrada sempre em estado líquido e fugaz. Tudo muito longe da verdade e da realidade. A felicidade e o propósito como um ideal, lugar ou alguma coisa a ser conquistada, pode ser insaciável, perigoso e frustrante.

Em contraponto temos o pensamento de Nietzche e Spinoza que propõem encontrar propósito começando em nós, respondendo à quem somos enquanto vivemos. A ideia de experimentarmos e arriscamos conhecer o ser humano autêntico. E não uma humanidade feita em série numa fábrica, mas sim de seres únicos e especiais, obra de arte da criação.

A proposta é olhar a tela branca em minha frente, os pincéis e a tinta ao lado e um universo de possibilidades individuais a serem desenhadas pelo artista.

“E aquilo que chamais mundo, é preciso primeiro, que seja criado por vós.” Nietzsche

A necessidade que bate à porta da humanidade é entender: o que é a vida além de nascer, conquistar bens e conhecimento; viver desejos e amores e depois morrer?

A psicologia positiva do dr. Martin Seligman têm inúmeras pesquisas que esclarecem a possibilidade de viver propósito nas coisas simples da vida como: fazer uma gentileza sem esperar nada em troca, escrever uma carta de agradecimento para alguém que nos ajudou um dia, encontrar diariamente três motivos para sermos gratos e outros exercícios de felicidade partindo de dentro e indo em direção ao outro. (2004)

O propósito pode ser a dedicação a uma causa, realizar um trabalho, dedicar tempo para uma pessoa…não necessariamente propósito e trabalho estarão juntos. Mesmo porque a ideia de trabalhar com base em talentos e habilidades é muito nova na história. Para os nossos antepassados trabalho era sinônimo de satisfazer necessidades de sobrevivência e não era reconhecido como um prazer ou espaço de felicidade.

Atualmente o mercado de trabalho vive a revolução da informação através das novas tecnologias, o que possibilita vivências menos braçais e mais conversacionais nos ambientes de trabalho e assim nasce a oportunidade de aliar trabalho e propósito.

A resposta pessoal para viver com propósito exige uma atitude de descoberta que é dinâmica, arriscada e incerta.

Eu particularmente não acredito em receita para descobrir meu propósito nesse mundo. Acredito em experimentar, conhecer quem sou, no que acredito e como posso viver o melhor possível para mim, para o coletivo enquanto me descubro ser.

“Acredito em experimentar o propósito universal de conviver, crescer, criar e transcender, encontrando quem sou para mim e para o outro enquanto vivo.”

Gisele Cipili

Receba nossas Atualizações

Cadastre-se para receber nossas atualizações…

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram
Share on pinterest

Não pare por aqui

Leia também

Empreendedorismo

Empreender com alma

O conceito de mulher poderosa e bem sucedida vem sendo perigosamente incentivado e explorado. Resultado? Mulheres com altos níveis de estresse, quase a beira do

Mulheres

Reflexão sobre nosso reflexo

Se você olhasse os pontos fortes dos outros e os comparasse aos seus pontos fracos, com a mesma frequência com que olha no espelho, como

Fechar Menu

Inicie o Teste de Inteligência Emocional

Abrir chat
1
Fale comigo diretamente pelo Whatsapp!
Powered by